cabeçaho-site-ciaud.png

  • image
  • image
  • image
  • image
  • image
  • image
  • image
  • image
  • image
  • image
  • image
  • image
Previous Next

Análise ergonómica do trabalho no serviço de Anatomia Patológica de um Hospital

Coordenador: Filipa Carvalho

Equipa (no CIAUD): Rui Bettencourt Melo

Equipa (fora do CIAUD): Valdemar Costa

Data de início: Outubro/2014

Data de conclusão: Março/2016

Linhas de Investigação: Principal:  Ergonomia     Transversal: Otimização da Interação Humana

Financiamento: UID/EAT/4008/2013

Parceiros: Centro Hospitalar de Lisboa-Ocidental

Resumo
Posturas incorretas e desconfortáveis são mantidas por longos períodos de tempo pelos patologistas e outros técnicos devido às particularidades das tarefas que lhes são requeridas como por exemplo o uso de microscópios binoculares, micrótomos e inclusores. Estas posturas podem sobrecarregar músculos e tendões e levar ao desenvolvimento de lesões músculo-esqueléticas (LME). Deste modo, uma análise ergonómica do trabalho foi solicitada para analisar e avaliar as condições de trabalho num laboratório de anatomia patológica.

Este estudo tem por objetivos: avaliar as atuais condições de trabalho dos profissionais daquele serviço, estabelecer relações com as queixas por eles apresentadas, identificar e selecionar os postos de trabalho mais penosos e caracterizá-los quanto ao nível de risco associado de desenvolvimento das LME. Deste modo pretende-se identificar áreas de intervenção prioritária com vista a implementar medidas preventivas. Para a caracterização do serviço foram utilizados diferentes métodos/técnicas: Diálogos com os patologistas e técnicos do serviço, pesquisa documental, observações livres e sistematizadas, recolha de imagem e vídeo e a aplicação de um questionário especificamente desenvolvido com esse propósito.  Para a caracterização do nível de risco associado ao desenvolvimento das LME será utilizado o método RULA. 75% dos profissionais daquele serviço aceitaram participar no estudo.

 

Resultados (obtidos ou esperados)
Efetuou-se a caracterização da situação de trabalho e dos trabalhadores.
Foram identificadas três tarefas mais críticas: Observação e Diagnóstico ao microscópio; Inclusão de fragmentos em blocos de paraplast®; Corte dos blocos de paraplast® nos micrótomos (2º corte). Considerando a autorreferência de sintomas de dor, incómodo ou desconforto físico dos trabalhadores foi possível identificar as principais regiões corporais afetadas com elevada intensidade/frequência: coluna cervical e dorsal (43%), ombro direito (38%) e pulso direito (29%).
Estes resultados serão submetidos para apresentação no SHO2016, Guimarães-Portugal, e no 7th International Conference on AHFE, Orlando-USA em 2016.

 

Atualizada a 7 de Setembro de 2016